sexta-feira, 16 de junho de 2017

MAÇONARIA E MÚSICA GOSPEL. VERDADES E PERIGOS

Meus irmãos sabe quando vocês ouvirão falar do Pr. Reinaldo Ribeiro organizando um evento e contratando um cantor gospel famoso para ser a grande atração do referido evento? Nunca!!

A maioria das letras gospel não glorifica a Deus! Glorificam ao homem, suas ânsias de vingança, enriquecimento, honra, vitória, restituição etc. O HOMEM, o EU, é o centro delas, e não Deus. NEM DE LONGE glorificam a Deus! Para glorificar a Deus, uma música precisa apontar para a Obra dEle, da criação, da salvação, da santificação, Sua graça infinita, imerecida pelo homem e não conquistada por obras de justiça. E sempre que falar sobre o homem, ressaltar seu pecado, sua depravação, sua incapacidade de buscar a Deus ou alcançar a salvação ou qualquer outra benesse por seus próprios méritos, e mostrar que tudo o que Deus dá ao homem é por graça, só por graça! Uma música que só retrata que eu sou vencedor, que eu nasci para vencer, para ser cabeça e não cauda, que Deus tem que restituir o que é meu, que vai humilhar meus inimigos e me exaltar, nem de longe foi composta ou é cantada para louvar a Deus! Repito: nem de longe as músicas gospel adoram a Deus!! A própria forma de composição geralmente em primeira pessoa (e mesmo quando compostas em terceira pessoa sempre direciona esta terceira pessoa para o homem) demonstra que a adoração ou a glorificação não é para Deus, e sim para O HOMEM.
Uma música baseada na Bíblia não é aquela que transcreve PALAVRAS da Bíblia, mas a ESSÊNCIA. Satanás citou o Salmo 91, por ocasião da tentação do Senhor Jesus, mas extraiu-lhe a essência, o verdadeiro significado, o verdadeiro princípio. Logo, uma música como FAZ O MILAGRE EM MIM pode até citar a história do encontro de Jesus com Zaqueu, mas quando não transmite o real sentido deste encontro, mostra que não está baseada na Bíblia; apenas usa algumas de suas palavras, para adquirir status de bíblica!

Na verdade, tais músicas que distorcem o sentido real da narrativa bíblica transmitem uma falsa piedade. Podem até estar parcialmente baseadas no texto sagrado, mas quando são analisadas de forma criteriosa se observa que o texto bíblico foi tão distorcido e desvirtuado que transmitem uma ideia completamente errada daquilo que a Bíblia quer ensinar, chegando até a negar verdades doutrinárias ou acrescentar-lhe inverdades.  Sinceramente, qual a base escriturária de músicas do tipo SABOR DE MEL? NENHUMA!! Aonde ela se encaixa nos princípios da Nova Aliança de perdão e amor aos nossos inimigos?  Nos dias de hoje, é muita sorte comprar um CD gospel com 12 faixas e encontrar UMA MÚSICA com base realmente escriturística!! Geralmente, se tiver, é um hino da Harpa ou do Cantor Cristão, ou um hino dos áureos anos 80 regravado! 
A presença maçônica na música não é nenhuma novidade por aqui. Desde a sua formação, quando a Música Popular Brasileira sofreu grande influência de ritmos europeus e africanos, os ideais maçônicos já se faziam representar por intermédio da criação artística de compositores maçons ou mesmo de profanos. Com respeito à música gospel isto é um fenômeno relativamente recente. Pra explicar isso quero ressaltar que há muita diferença entre música cristã e música gospel. 

É evidente que a música gospel, via de regra, é bem inferior aos hinos clássicos que eram escritos e cantados em nossas igrejas décadas atrás. As letras da atualidade são o que revelam mais nitidamente quão baixo os padrões caíram. Os hinos do passado eram ferramentas didáticas maravilhosas, cheias da Palavra e de doutrina sólida, um meio de ensinar e admoestar uns aos outros, como nos é ordenado em Colossenses 3:16 “A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.”

A música gospel é um produto mercadológico, criado pra vender, em nada comparável á autêntica música cristã de adoração e louvor a Deus. Antes, tomou uma direção diferente e o seu foco se tornou mais subjetivo. As músicas passaram a enfatizar a experiência pessoal e os sentimentos dos clientes compradores de cds e ingressos de shows. Os músicos modernos têm promovido essa tendência ainda mais e o que vem sendo semeado nas últimas décadas,  estamos colhendo agora em abundância assustadora. A igreja moderna, alimentada por letras insípidas, tem pouco apetite pela Palavra e pela doutrina bíblica sólida. Nós também corremos o perigo de perder a rica herança da hinologia, visto que alguns dos melhores hinos da nossa fé caem na negligência, sendo trocados por letras banais dentro de melodias pobres e secas. É uma crise, e a igreja está sofrendo espiritualmente. A diferença principal é que a maioria das músicas gospel são expressões de testemunho pessoal visando tocar uma audiência formada de pessoas, enquanto a maioria dos hinos clássicos eram músicas de louvor dirigidas direta e exclusivamente a Deus. O estilo e a forma da música gospel são pegos emprestados diretamente dos estilos musicais mundanos. Portanto música cristã é uma coisa e música gospel é outra muito diferente. 

Essa é a razão porque não podemos nos surpreender com a presença maçônica neste estilo musical e seus artistas. Há tempos que o mundo gospel anda abalado com tantos símbolos esotéricos e maçônicos e muitas mensagens subliminares nas músicas e em suas publicidades. Há uma grande suspeita que as mídias gospel já se venderam pra maçonaria e introduzem secretamente as mais variadas formas de ocultismo em suas produções, a internet está inundada de informações sobre este assunto e quase todas as empresas que gravam este estilo se encontram neste estado
.
Mas o mercado da música gospel está em alta e muitos artistas tem simulado conversões falsas para poder conquistar o público gospel, tanto que gravadoras como a Sony Music, as próprias Organizações Globo e outras gigantes mundanas e declaradamente maçônicas, abriram as portas para os cantores gospel. Há indícios e até registros claros informando que produções de muitos cantores gospel famosos estão infestadas de mensagens de ocultismo e da maçonaria e  que até os próprios logotipos destas empresas e dos Cds comercializadas são de inspiração Illuminati.

Muitos podem perguntar: mas qual é de fato o objetivo e os resultados que a influência maçônica trazem através da música gospel? Eu lhes respondo:
A música gospel de nossa atualidade trabalha a serviço do neopentecostalismo, que mesmo não sendo a única porta de entrada da Maçonaria na igreja protestante (e nem mesmo é a origem histórica desta entrada), hoje representa o meio mais eficaz pelo qual os princípios maçônicos ocultistas e libertinos são disseminados no meio cristão.
Graças à musicalidade gospel o pensamento maçônico de heresias como o movimento G12/M12 e suas réplicas se espalharam rapidamente e passaram a se tornar uma nova teologia aceitável para esta presente geração tão distante e neófita de Bíblia. Com uma teologia que encontra respaldo nas práticas do judaísmo e em símbolos sincréticos, muitas igrejas fazem uma grande salada de amuletos que garante a vitória, vale do sal, água ungida ,rosa do descarrego, chave da vitória, envelope da benção, exigências de restituições, eu profetizo, eu declaro, eu quero de volta o que é meu, prosperidade, maldições hereditárias e tantas outras mentiras diabólicas que são o maior ataque à pureza do evangelho que a Igreja já sofreu em toda a sua história, são apenas um resumo daquilo que a influência maçônica traz no pacote da música gospel.
E você pai e mãe que servem a Deus têm ainda alguma dúvida de que não deve deixar esse lixo entrar em sua casa e influenciar seus filhos? E você pastor ainda acha que vale a pena abrilhantar as festas de sua igreja contratando a peso de ouro esses mercadores illuminati que usam o nome de Deus para fazerem fortuna?
Quer um louvor abençoado em sua igreja? Chame aquele irmão e aquela irmã humildes e talentosos aí mesmo de sua comunidade. Aqueles que dia a dia dão testemunho não apenas de capacidade técnica, mas acima de tudo de compromisso com Deus. Chame um filho de Deus para louvar em seu evento e não um funcionário de Baphomet para amaldiçoar sua família e seu ministério.
Tudo que eu aprendi de Deus nesta vida foi lendo a Bíblia. Uma desses aprendizados é que algumas músicas do mercado Gospel dos dias de hoje é um desserviço ao mundo cristão. Aliás, essa tal música Gospel adaptada ao comércio dos vendilhões do templo dos dias atuais nem está na Bíblia! Não passa de uma invenção humanamente comercial como tudo que virou comercial no Capitalismo Cristão, que na verdade é um CAPETAlismo selvagem, que criou um sistema de mercantilização da Palavra de Deus. Vendem-se pulseiras, camisetas, pingentes, amuletos, colares, lembrancinhas, etc. Vendem-se músicas, CDs, cantores, imagens, etc. Vendem-se Mega Shows, estruturas comerciais que falam de um deus que pede seu dinheiro. A indústria Gospel é uma das mais lucrativas nos tempos de hoje. Com o comércio da palavra. Com o modismo gospel e seu farto catálogo de produtos, e sendo toda essa estrutura financiada pela retaguarda maçônica, eu chego á seguinte conclusão: O Diabo não é mais só é o Pai do Rock, como diziam os antigos. Hoje ele é pai do gospel também.
Que Deus nos livre dessa escuridão mental e musical, em nome de JESUS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário. Breve iremos analisá-lo com todo carinho. Que Deus lhe abençoe!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...